• Minhas compras
  • Entrar

Arrecadação (de onde vem?) e gastos públicos (para onde vão?)

Rosa Maria Marques, Marcio Pochmann, João Sicsú, Lena Lavinas, entre outros.

R$ 35,00 Livro indisponível

Arrecadação (de onde vem?) e gastos públicos (para onde vão?)
  • autor: Rosa Maria Marques
    Marcio Pochmann
    João Sicsú
    Lena Lavinas
    Denise Lobato Gentil
    Paulo Passarinho
    Evilásio Salvador
    Carlos VIdotto
    Leda Paulani
    João Antônio de Paula
    Maria Lucia Fattorelli
    Carlos Eduardo Carvalho
  • prefácio: Francisco de Oliveira
  • organizador: João Sicsú
edição:
1
selo:
Boitempo
páginas:
160
formato:
23cm x 16cm x 1cm
peso:
200 gr
ano de publicação:
2007
encadernação:
Brochura
ISBN:
9788575590928

Em um debate econômico onde as mentiras e os interesses neoliberais dominam a cena, o livro Arrecadação (de onde vem?) e gastos públicos (para onde vão?), organizado pelo economista João Sicsú, é uma obra fundamental para desmontar mentiras repetidas milhares de vezes, identificar os verdadeiros problemas econômicos do Brasil, oferecer uma visão crítica sobre a política econômica do governo Lula e propor alternativas.Os principais temas da economia nacional estão presentes no livro, em contraponto ao interrupto bater do tambor por reformas neoliberais que ocupa a grande imprensa e o pensamento conservador dos profissionais ligados ao sistema financeiro. O mito do déficit da Previdência Social; como são os trabalhadores e os mais pobres que realmente carregam o peso da carga tributária brasileira; os limites do Bolsa Família na construção de uma sociedade mais justa e o pequeno custo fiscal do programa (0,3% são gastos nele contra 7% do PIB empenhado em juros, como lembra Marcio Pochmann); o porquê das altas taxas de juros da dívida pública; e os princípios e problemas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) como inflexão da política econômica de Lula são alguns dos temas tratados.Um livro raro atualmente, que reúne economistas que voltam suas pesquisas e reflexões para o interesse da sociedade brasileira, ao invés dos interesses do sistema financeiro.